Da noite que acaba, começa o luar

Reflecte na cinza de um fogo apagado

E longe de tudo, somos como o ar

Amantes sem nome, num vácuo fechado

 

Apenas subsiste, um verso, não sei

Se o que já fomos foi-se com as horas

Mas já não me importa...o que tinha dei

Se vens ou se vais, se ainda demoras

 

E noutras colinas, noutros vendavais

Eu vou-me perder, até que por fim

Quando não quiseres fugir nunca mais

Venhas na areia correndo para mim

publicado por Luis Linhares às 00:24