Por trás das névoas de fumo
Que dum cigarro se escoam
Vejo as pedras que povoam
A estrada de um novo rumo.

Estendo a mão a apagar
A ilusão do caminho...
Já é noite e estou sozinho
Sem forças pra um novo andar.

publicado por Luis Linhares às 00:49