Existe um lugar obscuro

Onde a palavra não foi dita

Onde feiticeiros passam 

Ao luar.

Existe um silêncio futuro

Em que o sangue se agita

E os murmúrios se possam

Escutar

 

E há uma criança deitada

Dentro de mim...É pequenina

Uma imberbe alegoria

A repousar... 

Mas é noite. E a alvorada

Não vem já. Adormece menina

Na esperança de eu um dia

Te acordar

 

E a ti eu chamei-te Poesia

Sangue  meu  sempre a sangrar.

 

 

publicado por Luis Linhares às 23:48